Miradas Filosóficas – online

 

whatsapp-image-2020-01-08-at-12.40.58.jpeg

 

Miradas Filosóficas: Arte e censura

Esta edição do Miradas filosóficas possui como objetivo debater sobre arte e a censura. Censurar consiste no ato de analisar, por meio de censores parciais, trabalhos artísticos, informativos e filosóficos, com base em critérios morais e/ou políticos, para julgar a conveniência de sua divulgação e exibição pública. Em prol da moral e dos bons costumes, contra a ideologia de gênero e da difusão de pensamentos ditos comunistas, o Estado interfere na liberdade de expressão, ceifando novas perspectivas de pensamento crítico.

O curso:

No curso serão abordados os dizeres de Platão na Répública sobre o perigo dos artistas para a cidade ideal, capítulos do livro “Quadros de Guerra”de Judith Butler e a conferência “Sobre a Censura” do escritor sulafricano John Maxwell Coetzee.

O curso será dividido em 2 encontros. A duração será de 3h (19h – 22h). Dias: 13/01 e 20/01.

1: Mayã Fernandes: Censura e Autocensura.
2: Ana Carolina Lima: Ditadura civil-militar no Brasil, o caso Márcia X, o caso Queermuseu.

* no dia da anterior da aula cada aluna/o receberá o link de acesso ou será adicionada (a) na sala, instruções via e-mail.

Pagamento:

Basta acessar os links do Pagseguro e depois anexar abaixo o comprovante.

Novos alunos: R$ 150,00

https://pag.ae/7VyTK-FxP

Alunos da Oribê: R$ 100,00

https://pag.ae/7VyTLqv6

Inscrições:

http://bit.ly/arteecensura

76688870_476771376299837_8023774446877671424_o

Miradas Filosóficas // edição: Susan Sontag

Esta edição do Miradas filosóficas possui como objetivo apresentar ao público os escritos da filósofa Susan Sontag para compreender o papel da fotografia na sociedade de espetáculo.
Nesta edição a obra norteadora da discussão é “Diante da dor dos outros” (2003), que nos faz refletir sobre como as imagens de atrocidades são absorvidas pela população. Sontag dedicou boa parte de sua vida a analisar e compreender como a fotografia possui o poder de atingir, de incomodar ou não as pessoas. Com Sontag investigaremos a degradação humana da atual espetacularização da vida pelo fotojornalismo. Em seus escritos, a estética é a todo momento questionada pela ética, evidenciando o fascismo presente na bandeira que faz guerra pela paz.

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: Fotógrafos, amantes das artes visuais, filósofos, artistas, amantes das artes visuais, filósofos e interessados no tema.

Programa

• Aula 1: Introdução ao pensamento da filósofa Susan Sontag e a dimensão de seu pensamento sobre a imagem fotográfica.
• Aula 2: Análise das imagens fotográficas e sua banalização. O que fazer diante da dor dos outros? Quais os limites éticos do ato fotográfico?

Bibliografia do curso: 

SONTAG, Susan. Doença como metáfora, 2007.

SONTAG, Susan. Diante da dor dos outros, 2003.

SONTAG, Susan. Sobre a fotografia, 2004. 

Formato:

2 aulas online (ao vivo) com 3 horas de duração.*
Datas: 9/12 e 16/12.
Horário: 19:00 às 22:00 horas.

* No dia da anterior da aula cada aluna/o receberá o link de acesso ou será adicionada (a) na sala, instruções via e-mail.

Investimento

Novos alunos: R$150,00 (até o início do curso ou enquanto houver vaga)

Pagseguro: https://pag.ae/7VtV7cTr3

Alunos e ex-alunos da professora e/ou da Oribê: R$100,00

Pagseguro: https://pag.ae/7VtV7-jM4

Inscrições:

Preencha o formulário e anexe o comprovante do pagamento do Pagseguro.

http://bit.ly/2D54peZ

 

WhatsApp Image 2019-09-29 at 20.10.22

 

Miradas Filosóficas // edição: Judith Butler

Problematizar a produção de imagens de forma crítica em um país desigual é compreender como a mídia atua para classificar as vidas que são enlutáveis. Para Judith Butler, filósofa norte-americana, nas obras Quadros de guerra, quando a vida é passível de luto? e Corpo em aliança e a política das ruas o Estado atua em conjunto com a produção massificada de imagens para transformar sujeitos em objetos e retirar-lhes o direito à vida. Em se tratando de imagens, a partir do século XX o estatuto da fotografia modificou-se e a sua finalidade passou a atender à urgência massiva do capitalismo. As produções de imagens técnicas, fotografias, aumentaram de acordo com a demanda, a necessidade de satisfação do público e da mídia. A fotografia é utilizada como documento, como prova de acontecimentos, como comprovação dos crimes. Imagem ambígua, a fotografia acompanha as tensões dos conflitos e reforça um ponto de vista. A partir de enquadramentos, a fotografia auxilia na construção do significado de vida, atuando na sua preservação e na sua destruição. Assim, este curso possui como objetivo investigar a política das imagens na construção do estigma que destrói vidas no Brasil.

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: Fotógrafos, amantes das artes visuais, filósofos, artistas, amantes das artes visuais, filósofos e interessados no tema.

Programa

• Aula 1: Investigação sobre a política das imagens e acerca dos conceitos de enquadramento, vidas precárias, vidas passíveis de luto.
• Aula 2: Limites éticos da fotografia e a liberdade da poesia.

Formato:

2 aulas online (ao vivo) com 2 horas de duração (no dia da aula cada aluna/o receberá o link de acesso).
Datas: 17 e 18 de outubro
Horário: 19:00 às 21:00 horas.

Inscrições:

Investimento: R$150,00 (até o início do curso ou enquanto houver vaga)

Formas de pagamento:

Pagseguro:

NOVOS ALUNOS https://pag.ae/7Vj6Lbo9q
ALUNOS E EX-ALUNOS: https://pag.ae/7Vj6Med-s

Transferência Bancária: enviar mensagem via Whatsaap (61) 981621640.

Enviar NOME, CPF e comprovante de pagamento para Whatsaap (61) 981621640 ou e-mail: oribe.editorial@gmail.com

OBS.: Será ofertada 1 bolsa de 75% e 1 bolsa de 50% mediante seleção interna. Para concorrer às bolsas basta enviar um e-mail para oribeeditorial@gmail.com e explicitar quais os motivos de ser contemplada/o.

 

 

WhatsApp Image 2019-07-25 at 11.02.59

Miradas Filosóficas – Hannah Arendt e Susan Sontag: Filosofia, arte e fascismo

Definição: O

lhada; ação de fixar os olhos em alguma coisa ou em alguém; ato de mirar, de olhar, de observar.
O ato filosófico consist

e na busca, na tentativa da captura da essência de si e do outro. Para compreender o contexto histórico, apreendem-se as teorias de filósofas que se atreveram a ultrapassar os limites geográficos, raciais, étnicos e da própria misoginia de seu tempo. Com um viés abertamente político, essas mulheres dedicaram sua vida acadêmica à decifrar o momento presente, elencando conceitos originais, por meio de linguagens variadas. O primeiro encontro do curso Miradas filosóficas, possui como objetivo apresentar ao público os conceitos e teorias sobre filosofia, arte e fascismo. Para tanto, abordaremos os escritos de Hannah Arendt e Susan Sontag, para compreender o papel da arte e a sua apropriação pelos movimentos totalitários.

Início: 23/08 e 30/08
Horário: 19h às 22h
Local: Talento 28, Escola de Arte e Galeria: SEPS 714/914, Bloco E, Ed. Talento, sala 28, Térreo, Asa Sul, Brasília.
Total: 2 aulas, 6 horas/aula
Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: Fotógrafos, amantes
das artes visuais, filósofos, artistas e
interessados no tema.
Investimento: R$150,00 (até o início do curso ou
enquanto houver vaga)

Pagamento via transferência bancária ou Pagseguro 

Banco do Brasil 

Mayã Gonçalves Fernandes

Agência: 1004-9 Conta-corrente: 53846-9

É preciso enviar o comprovante de pagamento via e-mail (oribeeditorial@gmail.com)
Será ofertada 1 bolsa de 100%
mediante seleção interna.

Apoio: Talento 28

Incrições: oribeeditorial@gmail.com

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s